Pontes rolantes com sistema de elevação a vácuo

O sistema de I/O BL67 e os sensores de pressão PS garantem que os sistemas de elevação a vácuo de 15t da Lubas operem de forma confiável

As pontes rolantes da Lubas elevam o aço pesado à vácuo, sistema este de elevação que outros fabricantes tiveram que desistir há muito tempo. Com duas estações de fieldbus BL67 modulares e 53 sensores de pressão da série PS, a Turck desenvolveu uma solução robusta e fácil que monitora o vácuo de qualquer sistema de sucção.

  • A viga a vácuo da Lubas pode levantar e mover chapas de aço pesando milhares de toneladas

A Lubas, fabricante alemã de equipamentos e máquinas, fez um bom nome quando se trata de sistemas de elevação a vácuo para cargas extremamente pesadas. "Nosso principal negócio envolve vigas transversais para pesos a partir de 5.000 quilos", explica Alexia Bockermann, que é responsável pelo planejamento e instalação eletromecânica da Lubas. "Os modelos da série UniTravMega, são as mais poderosas máquinas de elevação da linha de produtos Lubas. A Lubas está atualmente construindo duas máquinas UniTravMega com uma capacidade de elevação de 15 toneladas cada. O vácuo de cada ventosa individual é registrado por sensores de pressão Turck da série PS e mostrado diretamente no local através do visor. A Lubas instalou duas estações de I/O BL67 para gravar e encaminhar os valores medidos para o controlador.

Temperaturas na faixa limite

Temperaturas superiores a 200°C desenvolvem-se diretamente sobre as folhas, enquanto os elastômeros vulcanizados especiais das ventosas de vácuo podem suportar temperaturas de até 250°C, os eletrônicos incorporados no lado superior da estrutura de aço são consideravelmente mais sensíveis. "Não é apenas que a viga esteja permanentemente posicionada acima das folhas de grelhar quente, mas você tem que contabilizar uma temperatura média de 60 a 70°C", explica Bockermann. "Com isso necessitamos de produtos com eletrônica que atendam esta aplicação".

Para este ambiente especial, a Turck forneceu a solução certa com a estação de I/O remota BL67 e sensores de pressão da série PS. "Estamos construindo o conceito descentralizado com as estações BL67 pela primeira vez. Costumávamos fazer tudo usando caixas de terminais no painel de controle. A rápida instalação com conectores plug-in M12 e módulos eletrônicos é uma vantagem considerável", diz Bockermann, ao explicar a decisão da empresa de usar produtos Turck. As estações compactas Fieldbus são uma vantagem adicional: pelo BL67, a Turck também oferece gateways Ethernet que podem ser usados para conectar os sistemas de elevação à rede da empresa. "Isso dá aos nossos clientes a oportunidade de monitorar através de sua própria rede da empresa quantas toneladas o guindaste se moveu ou quantas tubulações entraram em produção".

Ambas as estações BL67 utilizadas no UniTravMega registram os sinais dos 53 sensores de pressão instalados acima das ventosas de vácuo. Suas telas giratórias tornam possível verificar facilmente e diretamente cada ventosa de vácuo individualmente e convenientemente programar usando apenas 3 botões de pressão, o que torna os laptops ou outros dispositivos de programação externa redundantes. "Para a segurança e a manutenção da trincheira, é muito importante ver se um vácuo é estabelecido em cada ventosa. Sem os sensores de pressão e os mostradores, cada ventosa teria que ser verificada usando uma placa de teste. O cliente pode poupar esta despesa e esforço usando sensores de pressão", explica Bockermann.

Select Country

Turck worldwide